sábado, 25 de dezembro de 2010

Josué Ramos e Família - FELIZ NATAL aos Amigos!

                                       


  Mais uma vez expresso o meu sincero anelo no sentido de que                  todos os meus amigos recebam bênçãos incomuns da parte do Senhor durante o próximo ano. As avenidas da fé estão sempre maravilhosamente abertas para aqueles que acendem as lâmpadas da esperança e se abastecem permanentemente com o combustível do Amor. O Posto, claro, é a Presença do Senhor. O preço, nem precisa lembrar, é a graça sem medida. FELIZ NATAL!!! É o meu desejo e o de minha família! 

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Reflexões sobre a Igreja

                                   
Seria inútil tentar identificar algo mais precioso neste mundo  que a Igreja do Senhor Jesus Cristo, Seu Rebanho, Seu Corpo e Sua Noiva.
Ela foi estabelecida oficialmente em Jerusalém, no Dia de Pentecoste e desde então realiza a superior tarefa de adorar a Cristo, proclamar Sua Palavra, demonstrar o Seu poder e estender o Seu Reino.
“A Igreja reflete fundamentalmente a sabedoria e o propósito de Deus”[1] Ela não é a continuação de Israel, tampouco uma nova religião, senão um povo escolhido, com propósitos e futuro predefinidos, segundo a soberana presciência  do Pai Celestial.
É inegável a existência de uma guerra cruel movida por Satanás contra a verdadeira Igreja de Cristo, no entanto o próprio Mestre tem dantemão lhe assegurado plena vitória, Mt 16.16-18.
A Igreja existe como resultado direto da misericórdia, do sacrifício e da autoridade de Cristo.
Entender o conceito bíblico de igreja como um corpo de pessoas chamadas para fora do pecado, para serem santos, ajuda-nos a apreciar a riqueza da descrição de Paulo, da "Igreja de Deus, a qual ele comprou com o seu próprio sangue" ;Jesus não morreu para comprar terra e edifícios, nem para estabelecer alguma instituição. Ele morreu para comprar as almas dos homens e mulheres que estavam mortos no pecado mas que agora têm salvação e esperança de vida eterna (Rm 5:8; 1 Co 6:19-20).[2]
Cada filho de Deus deve pertencer a uma igreja local. Além disso, deve servir-lhe fielmente.
Igreja não é um lugar de divertimentos, senão de compromissos, sobretudo compromissos de ordem espiritual.
Desde cedo as pessoas devem ser treinadas a estudar a Bíblia e descobrir o que ela ensina a respeito do sentido mais profundo de sua existência e de suas múltiplas atividades na Terra.
Esta a razão por que cada igreja deve manter com seriedade, devoção e inteligência sua(s) classe(s) de discipulado.
“O discipulado serve para dar, àqueles que crêem, uma base bíblica, apresentando-lhes as principais doutrinas da fé cristã; considerando que sua vida foi comprada com o sangue de Cristo, conservando assim, o fruto gerado pelo Espírito Santo.”
Iniciar bem a vida cristã pode significar a garantia de um futuro promissor, de estabilidade espiritual e de produção de frutos abundantes para o Reino de Deus.
Que a Igreja não descure o seu papel de sal da terra e luz do mundo, [3]antes seja prudente e vigilante, não se deixando corromper  diante dos muitos apelos do Inimigo, das muitas estratégias do mundo e das muitas oscilações daqueles que praticam uma religiosidade estéril.
A Igreja nasceu para triunfar e ninguém a pode impedir de que alcance seu objetivo, senão ela própria, caso venha a tornar-se estéril.
A Igreja deve cultivar o seu amor a Deus, e a tudo que Lhe diz respeito,
a partir de Sua mui bendita Palavra.
Deve amar-se a si mesma, ou seja, deve desenvolver entranhavelmente a prática do amor fraternal.
Mas deve também amar os perdidos, os deserdados espirituais, os que, estando vivos, acham-se mortos diante de Deus.
A prática de Missões torna a Igreja mais unida, mais aquecida, mais motivada e mais digna de ser galardoada pelo Mestre e Senhor, no dia de Sua Vinda.
A Ele, glória para sempre e eternamente.
                                                                        Geziel Gomes

Reflexões sobre o Tribunal de Cristo

                                         
Por Geziel Gomes
     1 .      Todos os crentes comparecerão perante o Tribunal de Cristo, II Co 5.10
2.      O julgamento não será condenação, senão apenas para recompensa, Jo 5.24, visto que os crentes já foram julgados na cruz de Cristo.
3.      No Tribunal de Cristo serão julgadas as nossas obras, I Co 3.
4.      Como o próprio nome o indica, o Juiz desse Tribunal será o Senhor Jesus, Jo 5.22; Is 33.22.
5.      Nada ficará encoberto naquele dia, Hb 4.13.
6.      Ao mesmo tempo em que haverá recompensa para os servos fieis e operosos, haverá  vergonha para os servos negligentes, Mt 25.21; 1 Co 3.12-14; Rm 2.10; 1 Co 3.15.
7.      Ao pensarmos no Tribunal de Cristo, devemos pensar no fato de que somos despenseiros da multiforme graça de Deus, 1 Pe 4.7-10.
8.      Mais que mil anos depois do Tribunal de Cristo é que se dará o Grande Trono Branco, Jo 5.29; Ap 20.12. Desse juízo final os filhos de Deus não participarão, porque será para aqueles que não estão inscritos no Livro da vida do Cordeiro.
9.      A palavra grega usada para o Tribunal de Cristo pelo apóstolo Paulo é BEMA, que descreve uma plataforma ou pódio onde se colocava um assento para um oficial.
10.  Ao pensarmos no Tribunal de Cristo, pensemos em Mt 6.1 e também em Mt 25.20,21.
11.  O Tribunal de Cristo deverá preceder a faustosa cerimônia das Bodas do Cordeiro,  Ap 19.8
12.  Apos as Bodas do Cordeiro, a Bíblia fala do Senhor Jesus Cristo saindo do céu e os Seus com Ele, v.14. Será Sua vinda à Terra, quando Ele há de derrotar os exércitos do mundo, lançar a besta e o falso profeta no lago de fogo, prender Satanás e estabelecer, aqui na terra, o Seu reino milenar.
13.  O Tribunal de Cristo será a continuação do Dia de Cristo", ou a parousia, I Co. 1:8, II Co. 1:14, Fil. 2:16, I Ts. 2:19, 3:13. Assim, o Tribunal de Cristo ocorrerá entre o arrebatamento e a manifestação de Cristo com os Seus.
14.  O Tribunal também será o momento da prestação de contas pessoal de como temos tratado nossos irmãos, Ro. 14:12-13.
15.  Nessa ocasião seremos recompensados ou reprovados pelo nosso ministério, pois então serão testadas todas as nossas verdadeiras motivações, I Co. 313; 4:5, bem como será avaliado o nosso caráter, II Co. 5.10.
16.  No Tribunal de Cristo o que vai contar não será a quantidade de nosso trabalho, mas a qualidade.
17.  Quanto ao fogo que se manifestarã, leia-se Ap 1.14 e I Co 4.5.
18.  "Portanto nada julgueis antes do tempo, até que venha o Senhor, o qual não só trará à luz as coisas ocultas das trevas, mas também manifestará os desígnios dos corações; e então cada um receberá de Deus o seu louvor" I Cor 4.5.
19.  Deus nos mantenha preparados para o dia do TRIBUNAL DE CRISTO.

Prova para crianças de 5 a 7 anos insinua sexo com animais, em Curitiba

Copiei do blog http://www.estaentrenos.com/ uma matéria chamada"Prova para crianças de 5 a 7 anos insinua sexo com animais, em Curitiba" divulgada no blog Holofote.net, onde, segundo a CBN de Curitiba, "Alunos da rede pública de ensino de Curitiba receberam uma prova de geografia com uma charge do cartunista Dan Collins. O conteúdo dele é pornográfico. As crianças tem entre seis e sete anos".


"A imagem insinua um fazendeiro que fez sexo com as galinhas" (Holofote.net). É o final dos tempos aí, bem diante de nós!

"Como também da mesma forma aconteceu nos dias de Ló: comiam, bebiam, compravam, vendiam, plantavam e edificavam, mas no dia em que Ló saiu de Sodoma choveu do céu fogo e enxofre, e os destruiu a todos, assim será no dia em que o Filho do homem se há de manifestar" [Lucas 17:28-30].

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

BOLSONARO ALERTA AOS PAIS: Governo Quer Transformar Seu Filho em Homosse...

O que não é Doutrina?


Por Natanael Rinaldi                                                                                                                                             
“Se alguém ensina alguma doutrina diversa, e não se conforma com as sãs palavras de nosso Senhor Jesus Cristo, é soberbo, e nada sabe”. 1 Tm 6.3

                Todo tipo de ensinamento deve estar de acordo com a Bíblia. O que não estiver nas Sagradas Escrituras não pode ser considerado “Doutrina” (Gl. 1.8). Sendo assim, o que está na Bíblia deve ser observado e respeitado. E o que não está nela, ou seja, outro evangelho, deve ser anátema.
                Porém, infelizmente há pessoas que confundem doutrina com costumes, que são dogmas, tradições de uma cultura local, de um povo ou nação, e não se encontram nas Escrituras. Por exemplo: há uns quarentas anos algumas igrejas proibiam: ouvir rádio; beber coca-cola; mascar chiclete; usar perfume; mulher não podia andar de bicicleta e não podia ser vista conversando com nenhum homem; o casal de namorados não podia andar nem de mão dadas! Calça jeans era sinal de fraqueza espiritual e a pessoa estava prestes a sair da igreja. E além do paletó e da gravata, tinha de usar um chapéu! Pergunta: onde foram parar estas “doutrinas”? Não eram de Deus? E se eram, por que acabaram? Se não eram de Deus, por que permaneceram por tanto tempo, suspendendo e excluindo irmãos da igreja? Acabaram porque não passavam de doutrinas de homens!

                O apóstolo Paulo adverte os colossenses: “Vocês morreram com Cristo e por isso estão livres dos espíritos maus que dominam o universo. Então, por que é que vocês estão vivendo como se fossem deste mundo? Não obedeçam mais as regras como estas: ‘Não toque nesta coisa’, ‘não prove aquela’, ‘não pegue naquela’. Todas essas coisas têm haver com proibições que se tornam inúteis depois de usadas. São apenas regras e ensinamentos que as pessoas inventam. De fato, essas regras parecem ser sábias, ao exigirem a adoração forçada de anjos, a falsa humildade e uma forma dura de tratar o corpo. Mas tudo isso não tem valor algum para controlar as paixões que levam à imoralidade” (Cl 2.20-23 – BLH).

                Um exemplo bíblico dos que viviam nas doutrinas de homens está em Marcos 7.1-8. Jesus nunca se vestiu de maneira especial para mostra que era o Filho de Deus. Para Judas o identificar dentre os outros, teve de lhe dar um beijo, se não os homens não saberiam qual era (Mt 26.48). Em Romanos 14.4-5 Paulo nos ensina que jamais devemos julgar nosso próximo por motivo algum. Nesse texto, o “andar” trata-se do caráter, não do exterior do homem. É verdade que há mesmo vaidade nas roupas indecentes, imorais, porém não estou defendendo isso. Este estudo não tem o propósito de dizer que você não possa ter uma boa ética, de se vestir decentemente para fazer a obra de Deus, mas mostrar como é errado julgar segundo a aparência. “Não julgueis segundo a aparência, mas sim pela reta justiça” (Jo 7.24).

                Quando Deus mandou Samuel ungir a Davi como rei de Israel, ele viu Eliabe e disse: “Certamente está perante o Senhor o seu ungido”. Mas o Senhor disse a Samuel: “Não atentes para a sua APARÊNCIA, nem para a grandeza da sua estrutura, por que eu o rejeitei. Porque o Senhor não vê como vê o homem, pois o homem olha para o que está diante dos olhos, porém o Senhor olha para o coração” (1 Sm 16. 6-7).
                Toda doutrina de homem, imposta pelo homem, não surte outro efeito senão a apostasia, ou seja, o esfriamento da fé. Quem faz a obra é o Espírito Santo, e não o homem com seus dogmas. Crente até bem intencionado pensa que venceremos o inimigo com armaduras exteriores. Mas Efésios 6.10 nos ensina a vestir a Armadura de Deus, ou seja, Armadura Espiritual.

                Quanto a você ter individualmente uma posição diferente, isso é entre você e Deus. Porém, não julgue que seu irmão tenha que ser igual a você. A Bíblia Sagrada, a Palavra de Deus, nos ensina a identificar o verdadeiro servo de Deus, aquele que realmente é discípulo do Senhor Jesus. Quer saber onde se encontra o versículo que fala sobre isso? Está em João 13.35: “Nisto todos conhecerão que sois meus discípulos, se tiverdes amor uns pelos outros.”

Natanael Rinaldi é pastor da Igreja Evangélica da Paz, advogado, escritor e pioneiro da apologética cristã no Brasil.

Revista Apologética Cristã, edição 9.

UM CRISTÃO PODE SER POSSUÍDO POR DEMÔNIOS?

                                                                                                     Um grande número de evangélicos conservadores acredita que cristãos podem ficar endemoninhados. Merril Unger, autor do livro Demonologia Bíblica acreditava que os cistãos não poderiam ser possuídos por demônios. Mas mudou de idéia depois de ler muitas cartas de missionários que pareciam documentar cados de cristãos endemoninhados. Muitos afirmavam Ter testemunhado possessão demoníaca em cristãos. Porém, não há evidência bíblica que dê apoio direto a esse fenômeno. Aqui temos o problema de divergência entre as Escrituras e a suposta experiência pessoal.
Nas Escrituras, somente não-cristãos são vítimas de possessão demoníaca. Satanás influenciou Ananias e Safira, que eram cristãos em Cristo, a mentir para o Espírito Santo (At.5:3-4), mas não há nenhuma evidência de que de fato se apossou deles. Ele entrou em Judas (Lc.22:3), mas devemos levantar a questão se Judas era realmente cristão. Se cremos que ele era, parece mais plausível crer que ele se afastou totalmente da fé que apresentá-lo como exemplo de cristão endemoninhado, principalmente porque ele vivia numa época em que o termo cristão ainda não existia.
Saul é outro cada de possessão ou opressão demoníaca anterior ao cristianismo. Como no caso de Judas, será que podemos considerá-lo cristão depois de o Espírito de Deus Ter-se retirado dele? (I Sm.16:14) Saul, como Judas, parece ser um caso grave de apostasia.
Se os cristãos são batizados no corpo de Cristo e têm o Espírito Santo habitando neles, parece contraditório dizer que aqueles que permanecem fielmente em Cristo podem ser possuídos por demônios (Rm.8:9-11; I Co.12:13; Tg.3:11-12). Cristo libertou os cristãos do reino das trevas, e em última análise, em nenhum sentido o diabo pode mais tocá-lo (Cl.1:13; 1Jo. 4:4; 5:18). Não creio que cristãos possam ficar endemoninhados.
O que dizer então dos casos comprovados de cristãos possuídos por demônios? Alguns casos podem ser distúrbio mental, enquanto outros csos de opressão demoníaca podem ser confundidos com possessão. Outros casos, ainda, podem ser indivíduos inseguros e de ânimo fraco fingindo estar possuídos ou se auto-induzindo a acreditar que estão possuídos para ganhar atenção. Pregadores e leigos com uma visão desequilibrada de batalha espiritual e demonologia podem levar esees indivíduos a reagir como se estivesse endemoninhados, quando na realidade não estão.
A identidade está no âmago da questão. O indivíduo possesso é realmente cristão? Um cristão em Cristo professo pode não ser necessariamente um cristão genuíno. Imagine Jesus considerando o jovem rico com um dos seus discípulos simplesmente porque obedecia os 10 mandamentos. Em vez de confirmar a condição do rapaz de cristão verdadeiro, Jesus falou sobre o mal que controlava seu coração, o amor à riqueza. Creio que os convertidos que não confessam e não abandonam pecados ou vícios ocultos em suas vidas podem não ser cristãos genuínos. Dizer “creio em Jesus” não é suficiente se o indivíduo deliberadamente permanece preso por hábitos ocultos e pecaminosos. Crer em Jesus significa fazê-lo Senhor de nossa vida; logo, devemos nos arrepender de nossos pecados e abandoná-los (Lc.13:3; At.2:38; Ap.2:5)
Por outro lado, creio que cristãos caídos podem ficar endemoninhados. Mas teriam esses “cristãos’’ sido sempre verdadeiramente cristãos? Alguns diriam que essas pessoas nunca foram de fato salvas, para início de conversa. Outros diriam que não são mais salvas. Em todo caso,a pessoa endemoninhada não é mais considerada cristã. Nas Escrituras, somente aqueles que cometiam apostasia ou pecados hediondos eram “entregues a Satanás” (1Co.5:5; 1Tm.1:20).
Vários problemas estão relacionados com a idéia de que cristãos podem ser possuídos por demônios. Por exemplo, um cristão que se entrega a um determinado pecado pode querer que expulsem um “espírito de lascívia” em vez de assumir a responsabilidade por seus atos. É mais fácil dizer “o diabo me levou a fazer isso” do que confessar “eu pequei”. Muitos vícios procedem de nossa própria natureza pecaminosa, não dos demônios (Tg. 1:13-16). A Bíblia jamais diz que os cristão precisam expulsar de si mesmos o demônio cada vez que pecam. Em vez disso, devem confessar os pecados e abandoná-los (1Jo.1:9-2:6).
Do pastor: Dizer que um cristão fica endemonihado só comprova um fato: do quanto precisamos ler e crer na Bíblia, pois temos ouvido e crido mais em supertições e misticismo do que na Palavra de Deus.
Extraído do Livro: 99 perguntas s/ anjos, demônios e batalha espiritual.

sábado, 11 de dezembro de 2010

Os Últimos Pecados a Morrer: O Ciúme, a Inveja e a Contenda

                                                        

Aristóteles definia ciúmes como o desejo de ter o que outra pessoa possui. Era originariamente uma palavra boa e referia-se ao desejo de imitar uma coisa nobre da outra pessoa.  Mais tarde a palavra passou a ser associada com um desejo lascivo daquilo que pertencia a outra pessoa.  Salomão reconheceu a vaidade (inutilidade) desse pecado quando disse:  "Então vi que todo trabalho e toda destreza em obras provêm da inveja do homem contra o seu próximo" (Eclesiastes 4:4).  Tentar "seguir o padrão de vida do vizinho" é um pecado que não somente nos impedirá de ir para o céu, mas também mesmo nesta vida nos tirará a satisfação (Filipenses 4:12-13).

Embora o ciúme simplesmente cobice a riqueza e a honra  dos outros, a inveja é algo que se faz acompanhar de rancor.  A inveja não é necessariamente querer para nós mesmos, mas simplesmente querer que seja tirado do outro.  A inveja é o sentimento de infelicidade produzido por presenciarmos a vantagem ou a prosperidade do outro.  Os invejosos se incomodam com os sucessos dos amigos.

O ciúme e a inveja são sempre seguidos da contenda na igreja (Romanos 13:13; 1 Coríntios 3:3).  Quando nos magoamos por causa daquilo que outros conquistaram, quer financeiramente, quer na reputação, a ambição egoísta nos torna arrogantes contra o nosso irmão (Tiago 3:14).  O ciúme dos coríntios para com os pregadores gerou contenda e divisão (1 Coríntios 3:3-4).  Os irmãos ciumentos estão associados com a contenda, com a ira, com as disputas, as maledicências, a difamação, a arrogância e as perturbações (2 Coríntios 12:20).  O ciúme e a inveja levaram os irmãos de José a querê-lo morto, geraram a rebelião de Coré, levaram Caim a matar Abel, o Sinédrio a matar Jesus e aprisionar os apóstolos.  Muitos hoje e no primeiro século pregam e pregaram a Cristo movidos pela inveja (Filipenses 1:15).  São zelosos pela causa de Cristo, mas esse zelo é motivado pelo desejo de desacreditarem outros irmãos.

A contenda nasce da inveja, da ambição e do desejo de prestígio, de posição e de destaque.  É o espírito que nasce da competição desmedida e ímpia.  A contenda corre solta quando os cristãos odeiam ser superados.  Domina quando o homem se esquece que só o que se humilha pode ser exaltado.  Os irmãos invejosos e competitivos cobrem o seu pecado com debates "consagrados" sobre as palavras e sobre as questões controversas (1 Timóteo 6:4-5).  Que a nossa posição a favor da verdade não seja obscurecida com o motivo pecaminoso da inveja que nos conduz à contenda.

Uma vez que a contenda entra na igreja, o culto passa a ser inviabilizado.  Os cristãos, e mesmo os presbíteros e pregadores, ficam tão preocupados com os seus direitos, dignidade, prestígio, práticas e procedimentos que fica impossível haver uma atmosfera que dê margem ao louvor e à adoração.  Com o ciúmes e a inveja no coração, não podemos fazer julgamentos justos; o julgamento parcial só gera mais contenda.  A adoração a Deus e as disputas dos homens não combinam.

O ciúme e a inveja parecem ser os últimos pecados a desaparecer da vida do Espírito.  Após a longa lista que Paulo apresenta de pecados da carne e do fruto do Espírito em Gálatas 5, ele conclui o seu pensamento com a advertência:  "Se vivemos no Espírito, andemos também no Espírito.  Não nos deixemos possuir de vanglória, provocando uns aos outros, tendo inveja uns dos outros" (5:25-26).  Ninguém acusou os apóstolos durante o ministério de Jesus de fornicação, impureza, sensualidade, idolatria, feitiçaria, embriaguez e orgias ­ mas na noite antes de Jesus morrer, eles eram invejosos e cheios de contenda (Lucas 22:24).  Não é necessário participar do trabalho da igreja por muito tempo para descobrir que fonte eterna de problemas é a inveja.

Como corrigimos o espírito invejoso e ciumento em nós mesmos?  "Alegrai-vos com os que se alegram e chorai com os que choram.  Tende o mesmo sentimento uns para com os outros; em lugar de serdes orgulhosos condescendei com o que é humilde; não sejais sábios aos vossos próprios olhos" (Romanos 12:15-16).  "Finalmente, sede todos de igual ânimo, compadecidos, fraternalmente amigos, misericordiosos, humildes, não pagando mal por mal ou injúria por injúria; antes, pelo contrário, bendizendo" (1 Pedro 3:8-9).

"Ora, é em paz que se semeia o fruto da justiça, para os que promovem a paz" (Tiago 3:18).  Todos estamos tentando ceifar uma colheita resultante da boa vida, mas as sementes que produzem essa colheita jamais podem brotar numa atmosfera que não seja aquela com os relacionamentos corretos.  O grupo em que há inveja e contenda é um solo infértil, em que não pode crescer nenhuma colheita justa.                                                       
por Darrell Hymel

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Curiosidades da Bíblia


                    
O período de escrita da Bíblia é de 1600 anos. Moisés foi o primeiro a quem Deus ordenou escrever. Ele disse: "Escreve isto para memória num livro" Êxodo 17:14. Foi no terceiro milénio pós-criação que Moisés começou a escrever a Bíblia, por volta do ano 2500, ou seja, 1500 a.C. João, foi o último autor, escrevendo o seu evangelho por volta do ano 96 d.C.A Bíblia na sua origem foi escrita sem separação de palavras e sem nenhuma notação sintáctica.
Assim, o Antigo Testamento é composto de obras de autores diversos, como Moisés que foi um príncipe e legislador, Josué um general; David e Salomão reis e poetas; estadista e profeta; Daniel primeiro-ministro; Zacarias e Jeremias sacerdotes e profetas; Amós homem do campo.

A Bíblia toda (66 livros) teve cerca de 40 escritores, por um período de 16 séculos aproximadamente, os quais não se conheceram; pertenciam a diversas classes, de continentes diferentes, muitas vezes sem ter conhecimento do que os outros haviam escrito. A perfeita unidade da Bíblia, quando a lemos, inspira-nos a glorificar a Deus porque em meio à alegria e tristezas, o produto final apresenta uma só mensagem e uma salvação completa: JESUS!
Inicialmente, os escritos da Bíblia não eram divididos em capítulos e versículos; a divisão em capítulos só veio a acontecer no ano 1250 a,d, pelo Cardeal Hugo de Sancto Caro, monge dominicano, que dele se serviu para a sua concordância com a Vulgata.
Alguns pesquisadores atribuem essa divisão também a Stephen Langton, falecido em 1228. No ano de 1551, Robert Stephen fez a divisão em versículos, publicando a primeira Bíblia, assim dividida em 1555, a Vulgata.
Em 1525, Jacob Bem Haim, na Bíblia Bomberg, em Veneza, também havia dividido o Antigo Testamento em versículos.
O Antigo Testamento encerra citando a palavra maldição. O Novo Testamento encerra citando graça do Senhor Jesus Cristo.
• Há 8.000 vezes a palavra "Senhor";
• A volta de Jesus é citada 1845 vezes;
• O Autor da Bíblia é Deus;
• O Intérprete da Bíblia é o Espírito Santo;
• O assunto central da Bíblia é Jesus Cristo;
• A Bíblia é o livro mais editado e vendido do mundo;
• A Bíblia é o livro mais lido do mundo.
Existem, aproximadamente, 2.800 línguas e 3.000 dialectos, mas a Bíblia já foi vertida, em parte, em mais de 1.200 línguas e dialectos. A Bíblia inteira só está traduzida em cerca de 300 línguas.
A Bíblia contém 66 livros, 1.189 capítulos, 31.278 versículos, dos quais mais de 5.000 são promessas (alguns autores falam de cerca de 32.000 promessas, o que daria a média de mais de uma promessa por versículo — veja www.bibliashop.com  em jogos da Bíblia), 774.746 palavras e cerca de 3.566.480 letras  assim distribuídos:
Antigo Testamento 39 livros; 929 capítulos; 23.328 versículos; cerca de 31 autores; escrito em hebraico (com porções aramaico).
Novo Testamento 27 livros; 260 capítulos; 7950 versículos; cerca de 09 autores; escrito em grego.
Há no Novo Testamento cerca de 280 citações do Antigo Testamento e mais de
350 alusões ou referências a coisas escritas no Antigo Testamento.

Lendo 4 capítulos por dia, ao final de 1 ano você concluirá toda a sua leitura.
Nomes para a Bíblia
Nomes técnicos

a) A Palavra de Deus - Heb. 4: 12.

b) A Escritura de Deus - Êxo. 32:16.

c) As Sagradas Letras - II Tim. 3:15.

d) A Escritura da Verdade - Dan. 10:21.

e) As Palavras da Vida - Actos 7:38.

f) As Santas Escrituras - Rom. 1:2.


Nomes figurativos

a) Uma luz. "Uma luz para o meu caminho". Sal. 119:105.

b) Um espelho - Tiago 1:23.

c) Ouro fino - Sal. 19:10.

d) Uma porção de alimento - Jó 23:12.

     Leite - I Cor. 3:2.

     Pão para os famintos - Deut. 8:3.

e) Fogo - Jer. 23:29.

f) Um martelo - Jer. 23:29.

g) Uma espada do Espírito - Ef. 6:17.

Fonte: Bíblia Alfalit e Pr. Rafael Rossi

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Adão e Eva praticavam sexo antes da queda?

adam-eve.jpg
Alguma vez você foi abordado por alguém que queria saber se Adão tinha umbigo? Quem casou com Caim? Ou se os animais do Jardim do Éden falavam? Bem, essas perguntas geralmente são dirigidas a professores de EBD, a pastores e docentes em Seminários, ficando muitas vezes sem respostas.
Sabemos que “as coisas encobertas pertencem ao SENHOR nosso Deus, porém as reveladas nos pertencem a nós e a nossos filhos para sempre, para que cumpramos todas as palavras desta lei.” Deuteronômio 29.29.
Por outro lado, sabemos que existem ferramentas que nos ajudam a extrair da bíblia, sua verdade. A exemplo disso citamos a exegese e a hermenêutica bíblica.
O Evangelista Esdras Bentho, em seu livro “Hermenêutica, fácil e descomplicada”, Edição CPAD, nas páginas 40 e 41, nos ensina sobre os dois tipos de revelação de Deus; Revelação Ativa - revelação imediata de Deus, sem permeio humano e Revelação Passiva – revelação mediativa, Isto é, Deus não se revela diretamente ao homem como o fez com Moisés. Porém, é o conhecimento de Deus que é comunicado aos homens ou mesmo aquele que é observado através da revelação geral. (Gn 1; Sl 119; 148; Rm 1.20).
Num desses casos de revelação ativa, vemos Jesus dizendo a Pedro ” E Jesus, respondendo, disse-lhe: Bem-aventurado és tu, Simão Barjonas, porque to não revelou a carne e o sangue, mas meu Pai, que está nos céus” Mateus 16:17
Tomando por base a revelação Geral de Deus, observamos ainda a luz do contexto profético, histórico e teológico às evidências que se expõe no texto bíblico. Não apelaremos para o contexto empírico, embora entenda que poderia estar também aqui elencado.
Na tentativa de responder aos céticos, homens piedosos estudaram a exaustão a Palavra de Deus, um desses homens foi o Dr. Glayson Archer, falecido em 27 de abril de 2004. Para conhecer melhor esse escritor e teólogo acesse http://pt.wikipedia.org/wiki/Gleason_Archer. Archer nos brinda com o Livro, Enciclopédia de Dificuldades Bíblicas- Editora Vida. Nele, o autor responde a diversas indagações sobre aparentes contradições bíblicas.
Na página 82, o autor esclarece a respeito das esposas dos filhos de Adão, salientando aos leitores que após 800 anos do nascimento de Sete, o casal edênico tiveram filhos e filhas. “E foram os dias de Adão, depois que gerou a Sete, oitocentos anos, e gerou filhos e filhas”. Gênesis 5:4.
Quero focar aqui a cerne dessa postagem. Imagine vocês que fui abordado por um bacharel em teologia de uma famosa instituição que não acreditava que antes do pecado Adão e Eva praticavam sexo.
Antes de expor o que acredito, quero que você leia o que se segue;
A criação foi boa, “E viu Deus tudo quanto tinha feito, e eis que era muito bom; e foi a tarde e a manhã, o dia sexto” Gênesis 1:31
Ora, Deus fez o homem perfeito, “Eis aqui, o que tão-somente achei: que Deus fez ao homem reto, porém eles buscaram muitas astúcias”. Eclesiastes 7:29
Deus após criar Adão, observando que o mesmo estava só, e vendo que não era bom, fez-lhe uma adjuntora (companheira). E uniu os dois “Portanto deixará o homem o seu pai e a sua mãe, e apegar-se-á à sua mulher, e serão ambos uma carne”. Gênesis 2.28Ainda acrescenta o texto
“E Deus os abençoou, e Deus lhes disse: Frutificai e multiplicai-vos, e enchei a terra, e sujeitai-a; e dominai sobre os peixes do mar e sobre as aves dos céus, e sobre todo o animal que se move sobre a terra”. Gênesis 1.28Aparentemente antes do pecado, Adão (hebraico: אָדָם, Adam, "Homem"), não parece ter tido filhos. Digo isto, porque quando Deus procurou por ele, após o pecado, achou apenas Adão e Eva, sua esposa, fazendo o Senhor roupas apenas para eles, não é mencionado até então nenhum de seus filhos, por dedução imaginamos que ainda não lhes eram nascidos.
Mas, temos que levar em consideração que Deus sentenciou a Eva multiplicando suas dores de parto, o que sugere que ela tinha conhecimento do que Deus estava falando, ou seja, poderia já ter tido filhos no estado de inocência.
Outra evidencia de que talvez Adão e Eva tivessem filhos ainda no Éden, é observada quando se fala em quem pudesse matar Caim. A ordem de Deus era pra encher a terra, e ao que parece, foi obedecida pelo fértil casal.
Alguns estudiosos bíblicos unem-se a arqueologistas para afirmar que o homem surgiu há 10.000 anos atrás. Pela Bíblia seriam 6.000 anos, mas, os 4.000 anos restantes, teriam explicação no período edênico. Seria nesse tempo que Adão e Eva teriam enchido a terra.
Agora, voltando ao tema proposto, será que o casal praticava sexo na eternidade em que estavam? Minha resposta está implícita, nos já citados textos. A menos que acreditemos que Deus criou o casal sem estarem munidos de atração sexual. Que não dormiam juntos e nem se tocavam, o que é um absurdo, sendo eles um casal.
Alguns especuladores chegam a ensinar que o fruto proibido era afrodisíaco, tendo o sexo iniciado com o seu consumo.
Se assim cremos, teremos que asseverar que o sexo foi fruto do pecado, o que é uma incoerência, pois foi Deus que criou o sexo e é através da relação sexual que nos multiplicamos, conforme ordenança divina. “Crescei e multiplicai”
Alguém perguntou: Mas, Adão não conheceu sua mulher quando foi expulso do Paraíso?
“E conheceu Adão a Eva, sua mulher, e ela concebeu e deu à luz a Caim, e disse: Alcancei do SENHOR um homem”. Gênesis 4:1
Observe o texto abaixo e verás que o escritor usa o mesmo termo “conheceu” para designar que Elcana e Ana naquela oportunidade tiveram relacionamento sexual, isso não quer dizer que antes eles já não se relacionavam.
“E levantaram-se de madrugada, e adoraram perante o SENHOR, e voltaram, e chegaram à sua casa, em Ramá, e Elcana conheceu a Ana sua mulher, e o SENHOR se lembrou dela”. 1 Samuel 1:19
Portanto, ratifico com base bíblica que Adão e sua esposa Eva se amavam e tinham relacionamento sexual antes da queda. Quanto a ter tido filhos ou não no período edênico deixo que você formule sua própria opinião.
Pr. Robson Aguiar

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

PASTORES ATEUS


Eles não acreditam mais em Deus mas continuam liderando suas igrejas
“Eu sou ateu”, diz ’Jack’, um pastor afiliado à Convenção Batista do Sul, com mais de 20 anos de ministério. ”Vivo minha vida como se Deus não existe”, diz ‘Adam’, que faz parte da equipe pastoral de uma pequena igreja em um dos estados mais religiosos dos EUA. Os dois, que pediram para terem suas identidades protegidas, são pastores que perderam a fé. Ambos construíram suas vidas e carreiras ao redor da fé, mas agora dizem sentir-se encurralados, vivendo uma mentira.
“Passei a maior parte da minha vida acreditando e buscando essa fé religiosa chamada cristianismo. Ao chegar a este ponto de minha vida, simplesmente não sinto mais que posso crer nele. Quanto mais eu lia a Bíblia, mais perguntas eu tinha. Quanto mais as coisas que ela afirma não faziam sentido para mim, mais dificuldade eu tinha.”, afirma Jack.
O pastor Jack disse que há dez anos começou a sentir sua fé se esvair. Ficou incomodado com as inconsistências no relato dos últimos dias da vida de Jesus, a improbabilidade de histórias como a “Arca de Noé” e as ideias expressas na Bíblia sobre as mulheres e seu lugar no mundo.
“Ler a Bíblia foi o que me levou a não crer mais em Deus”, conclui. Ele diz ainda que era difícil continuar trabalhando no ministério. “Comecei a olhar para isso como apenas uma atividade profissional e faço o que tem de ser feito”, disse. “Venho fazendo isso há anos.”
Adam disse que suas dúvidas iniciais sobre Deus vieram ao ler o trabalho dos chamados neoateístas – autores populares como o cientista Richard Dawkins. Ele disse que seu objetivo era fazer uma pesquisa para ajudá-lo a defender sua fé.
“Pensava que Deus fosse grande o suficiente para lidar com todas as perguntas que eu pudesse ter”, afirma. Mas não foi isso que aconteceu. ”Percebi que tudo que me ensinaram a acreditar era uma espécie de abrigo seguro. Eu nunca realmente me interessei pelo ensino secular ou por outras filosofias… Eu pensava, ‘Ó, meu Deus. Estou crendo nas coisas erradas? Será que passei toda minha vida e ministério pregando algo que não é verdade?’”, relata Adam.
Ele disse que temia pela salvação de sua alma. “No momento que sentia estar perdendo a fé, mas ainda temia por minha salvação, pedi a Deus que tirasse minha vida antes que eu perdesse totalmente a fé”, lembra Adam. O pastor agora se considera um ‘agnóstico ateísta’. “Não acho que podemos provar que Deus existe nem que ele não existe”, disse. “Vivo a minha vida como se Deus não existisse.”
Ele e Jack dizem que quando pregam aos fiéis, tentam ater-se às porções da Bíblia que ainda acreditam – as que ensinam como ser uma pessoa boa. Ambos disseram que gostariam de abandonar seu ministério, mas não têm condições.
“Quero sair da situação que estou o mais rápido possível, porque tento ser uma pessoa de integridade e caráter”, disse Adam. “Com a economia do jeito que está, minha falta de capacitação para o mercado e apenas com o diploma do seminário, fico em uma posição difícil.”
Revelar o ateísmo secreto ‘será devastador’

Jack disse que seu segredo o faz sentir isolado e que certamente perderia um monte de amigos se admitisse que deixou de ser cristão. Sua esposa não sabe e ele acredita que possivelmente iria perdê-la também. ”Será algo muito confuso para ela”, disse Jack. “Será muito devastador e vai levar algum tempo para trabalharmos essa questão.”
Adam disse que sua esposa sabia de sua crise de fé, mas não que ele a perdera completamente. “É uma situação muito difícil. Não consigo pensar em outra carreira que seja tão drasticamente afetada por uma mudança de opiniões ou ideias”, disse ele.
“No começo, tive medo que, se perdesse minha fé, me tornaria uma pessoa horrível“, disse Adam. “Desde que perdi a fé percebi que ela realmente não tinha influência sobre quem eu sou, meu caráter e minhas ações. Não vivo de maneira diferente do que vivia quando era um crente fervoroso.”
Fonte: Pavablog

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

El Shammah - Nossos talentos. AD Betania - Lugar de Amigos!!!!

                              

Ana Paula Valadão realiza cruzeiro gospel para ungir os mares do Brasil



“Seus bobinhos! Seus bobinhos! Unjam os mares! As praias são minhas! As praias são minhas!”
Por Leonardo Gonçalves

Depois de engatinhar na fé e se afogar na Lagoinha, a pastora das botas de couro de Pytonfará um novo ato profético-humoristico. Ana Paula Valadão realizará um Cruzeiro, com direito a muita mandinga gospel nas praias do litoral Brasileiro. Em lugar do Exu Boiadeiro, a moça pretende reunir alguns irmãozinhos abastados em um navio, e assim amarrar o Poseydon Tupiniquim, usando uma forte dose de boacumba "evangé-wicca".

Segundo relato em seu blog, a moça à princípio se sentiu incômoda em realizar um evento que só abarca os ricos, marginalizando os demais, mas uma experiência mística a fez mudar de opinião. Em um momento de oração, o Senhor lhe teria dito: Seus bobinhos! Seus bobinhos! Unjam os mares! As praias são minhas! As praias são minhas!”. Neste momento, Deus lhe teria dado uma nova missão: Ungir as praias brasileiras! :0

"Naquela atmosfera de glória, da forte Presença do Senhor, mais um passo me foi revelado. Eu nos vi ungindo os mares do Brasil e descendo em todas as praias possíveis, por todo o litoral brasileiro, adorando ao Senhor", diz Ana, ansiosa para derramar óleo de soja nas praias da ilha de Vera Cruz. Sem dúvida será uma experiência edificante participar deste cruzeiro, recheado de atos proféticos e muita galhofa neopentecostal. O preço da brincadeira? Balela! Nada paga a satisfação de fazer a "obra de Deus" ao lado do seu ídolo preferido, untando as águas já poluídas do litoral do nosso país.

Para justificar seu descalabro, a pastora usa as Escrituras: "A Bíblia até mesmo nos instrui a ungir os doentes para que sejam curados. Com esse entendimento, ungiremos os mares e as praias do Brasil". Karaca! A bíblia diz que devemos ungir os doentes... logo, nós ungiremos os mares??? Pelo visto nao é só a teologia da Lagoinha que anda fraca, mas a capacidade de raciocínio lógico anda bem capenga.

"Compartilhando isso, sei que me exponho a críticas e a um mal entendimento do que move o meu coração", diz Ana, consciente de que esta empreitada redundará em censura do seu ministério. No entanto, ela não pensa em desistir, pois dito cruzeiro constitui um passo deveras importante: Ele contribuirá parta a "redençao do país".
Como diria o nosso mano Capitão Nascimento: Essa Ana é mesmo uma Fanfarrona!

Postou Leonardo Gonçalves, cansado de tanta paspalhice gospel, no Púlpito Cristão

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Não temos o “levanta e anda”, mas em nome de Jesus temos o “ouro e a prata”

Ganancia pelo poder, orgulho e independência cria mirabolantes nomes para igrejas

Dentre as anomalias envolvendo igrejas no Brasil – não confunda com Igreja, Corpo de Cristo e Reino dos Céus –, deparamos com matéria e artigo divulgados na Folha (Hoje na Folha: Criar igreja e se livrar de imposto custa R$ 418(29/11/2009 - 08h28, de causarem asca em qualquer seguidor de Cristo (cristão). As facilidades que se têm no Brasil de instalar igrejas, constada pelo jornal, coincidem com a demanda expressada por uma cultura cheia de aptidão para tal.
Tanto a deficiência sócio-cultural quanto os princípios religiosos, que deram origem à nação – portugueses, com o catolicismo romano; os índios com o feiticismo; e os africanos com e o espiritismo – formaram o berço esplêndido para tais aberrações.
“Reportagem de Hélio Schwartsman, da equipe de articulistas da Folha, mostra que bastam cinco dias úteis e R$ 418,42 para criar uma igreja no Brasil com CNPJ, conta bancária e direito de realizar aplicações financeiras livres de IR (Imposto de Renda) e de IOF (Imposto sobre Operações Financeiras).”
“A reportagem, publicada neste domingo na Folha (íntegra disponível para assinantes do UOL e do jornal), informa ainda que não existem requisitos teológicos ou doutrinários para a constituição de uma igreja nem se exige um número mínimo de fiéis –basta o registro de sua assembleia de fundação e estatuto social num cartório.”
Grande parte dessa involução religiosa tem como ponto de partida a pobreza nos seus mais amplos sentidos, em especial a de espírito. A deficiência ética, de uma sociedade de jeitinho e cunhada na mentira, assimilou bem a mensagem pós-moderna do ter (do sabe com quem está falando?), em detrimento ao ser(quem sou?).
O sistema de troca não se espelha nos valores reais de uma pessoa, formatada em seu caráter, mas no das riquezas temporais e o resto não passa de resto mesmo!
Não deveria haver a necessidade de interferência de órgãos oficiais, pois a própria sociedade, por seus costumes, emplacados em sua cultura, deveria reprimir tais práticas. É como o caso de urinar na rua… ou dirigir o veículo à direita… (coisa comum no Estado do Rio). Não deveria ser coisa de fiscalização policial, mas algo banido pela própria exigência cultural de um povo educado.
Por outro lado, como dizem os jornalistas, “Não existem requisitos teológicos ou doutrinários para criar um culto religioso. (…). Os templos são livres para se organizarem como bem entenderem, o que inclui escolher seus sacerdotes. Uma vez ungidos, eles adquirem privilégios…”.
Neste caso, já que a sociedade é ignorante a ponto de não saber decidir por si mesma, o sistema estatal deveria interferir e criar exigências, como o reconhecimento de tais líderes, ao menos por meio de um curso teológico idôneo, de fé pública.
O início de tudo
Quando iniciei na fé cristã tínhamos, além das igrejas tradicionais, como Congregacional, Luterana, Metodista, Presbiteriana e Batista, as pentecostais Assembleia de Deus, Cristã no Brasil e depois Cruzada (Igreja do Evangelho Quadrangular), O Brasil para Cristo, Deus é Amor e a Restauração.
Com a chegada dos novos tempos, logo após a Revolução Cultural dos anos sessentas, as liberdades tornaram-se libertinas e chegaram até a área eclesiástica. A década de oitenta, ocorreu o pontapé aos exageros, que já se registravam nos Estados Unidos. Porém, aqui no Brasil, o campo foi tão fértil quanto promíscuo.
E não foram somente as igrejolas que se tornaram verdadeiras (a)seita(cheques). Esse ardor de um céu infernal criou um inferno celestial e chegou a perturbar os fiéis, por meio de líderes, que se adaptaram de forma exemplar ao poder, emanado de uma estrutura humana, geminada à Igreja. A organização (de cunho meramente humano) construiu prédios, domínios, riquezas e poder humano – verdadeiras miniaturas da estátua de Nabucodonosor – expressando o fulgor do império humano.
A Igreja do Senhor nunca teve dominadores como se vê hoje, mas líderes com autoridade espiritual e não por seus carrões, anéis salientes, como verdadeiros caubóis do asfalto, com imposições pelo medo e não por sua autoridade que, aliás, perderam quando pegaram o atalho que não mais segue o Caminho.
Na época que citei acima, os pastores presidiam sim a igreja, mas não eram chamados presidentes ou chefes (coisa tão humana quanto passageira), eram simplesmente irmãos. Hoje, eles não são pastores, mas presidentes e chefes. Hoje os profetas velhos estão corrompendo os profetas novos, com raras exceções.
Adaptaram-se com excelência às teologias da Prosperidade, do Triunfalismo e da Confissão Positiva (do Positivismo de Conte, que tem um pé no espiritismo), as quais ‘são injustamente’ por eles criticadas – quando não assumidas -, pois é apenas uma forma de se ocultar.
Estes mesmos podem dizer: Não temos o “levanta e anda”, mas em nome de Jesus detemos o “ouro e a prata”.
É triste afirmar isso, mas daí para o que se lê abaixo não custa muito.
Nomes de ‘igrejas’ registradas

- Igreja da Água Abençoada
- Igreja Adventista da Sétima Reforma Divina
- Igreja da Bênção Mundial Fogo de Poder
- Congregação Anti-Blasfêmias
- Igreja Chave do Éden
- Igreja Evangélica de Abominação à Vida Torta
- Igreja Batista Incêndio de Bênçãos
- Igreja Batista Ô Glória!
- Congregação Passo para o Futuro
- Igreja Explosão da Fé
- Igreja Pedra Viva
- Comunidade do Coração Reciclado
- Igreja Evangélica Missão Celestial Pentecostal
- Cruzada de Emoções
- Igreja C.R.B. (Cortina Repleta de Bênçãos)
- Congregação Plena Paz Amando a Todos
- Igreja A Fé de Gideão
- Igreja Aceita a Jesus
- Igreja Pentecostal Jesus Nasceu em Belém
- Igreja Evangélica Pentecostal Labareda de Fogo
- Congregação J. A. T. (Jesus Ama a Todos)
- Igreja Evangélica Pentecostal a Última Embarcação Para Cristo
- Igreja Pentecostal Uma Porta para a Salvação
- Comunidade Arqueiros de Cristo
- Igreja Automotiva do Fogo Sagrado
- Igreja Batista A Paz do Senhor e Anti-Globo
- Assembléia de Deus do Pai, do Filho e do Espírito Santo
- Igreja Palma da Mão de Cristo
- Igreja Menina dos Olhos de Deus
- Igreja Pentecostal Vale de Bênçãos
- Associação Evangélica Fiel Até Debaixo D’Água
- Igreja Batista Ponte para o Céu
- Igreja Pentecostal do Fogo Azul
- Comunidade Evangélica Shalom Adonai, Cristo!
- Igreja da Cruz Erguida para o Bem das Almas
- Cruzada Evangélica do Pastor Waldevino Coelho, a Sumidade
- Igreja Filho do Varão
- Igreja da Oração Eficiente
- Igreja da Pomba Branca
- Igreja Socorrista Evangélica
- Igreja ‘A’ de Amor
- Cruzada do Poder Pleno e Misterioso
- Igreja do Amor Maior que Outra Força
- Igreja Dekanthalabassi
- Igreja dos Bons Artifícios
- Igreja Cristo é Show
- Igreja dos Habitantes de Dabir
- Igreja ‘Eu Sou a Porta’
- Cruzada Evangélica do Ministério de Jeová, Deus do Fogo
- Igreja da Bênção Mundial
- Igreja das Sete Trombetas do Apocalipse
- Igreja Barco da Salvação
- Igreja Pentecostal do Pastor Sassá
- Igreja Sinais e Prodígios
- Igreja de Deus da Profecia no Brasil e América do Sul
- Igreja do Manto Branco
- Igreja Caverna de Adulão
- Igreja Este Brasil é Adventista
- Igreja E.T.Q.B (Eu Também Quero a Bênção)
- Igreja Evangélica Florzinha de Jesus
- Igreja Cenáculo de Oração Jesus Está Voltando
- Ministério Eis-me Aqui
- Igreja Evangélica Pentecostal Creio Eu na Bíblia
- Igreja Evangélica A Última Trombeta Soará
- Igreja de Deus Assembléia dos Anciãos
- Igreja Evangélica Facho de Luz
- Igreja Batista Renovada Lugar Forte
- Igreja Atual dos Últimos Dias
- Igreja Jesus Está Voltando, Prepara-te
- Ministério Apascenta as Minhas Ovelhas
- Igreja Evangélica Bola de Neve
- Igreja Evangélica Adão é o Homem
- Igreja Evangélica Batista Barranco Sagrado
- Ministério Maravilhas de Deus
- Igreja Evangélica Fonte de Milagres
- Comunidade Porta das Ovelhas
- Igreja Pentecostal Jesus Vem, Você Fica
- Igreja Evangélica Pentecostal Cuspe de Cristo
- Igreja Evangélica Luz no Escuro
- Igreja Evangélica O Senhor Vem no Fim
- Igreja Pentecostal Planeta Cristo
- Igreja Evangélica dos Hinos Maravilhosos
- Igreja Evangélica Pentecostal da Bênção Ininterrupta
- Assembléia de Deus Batista A Cobrinha de Moisés
- Assembléia de Deus Fonte Santa em Biscoitão
- ‘Igreija’ Evangélica Muçulmana Javé é Pai
- Igreja Abre-te-Sésamo
- Igreja Assembléia de Deus Adventista Romaria do Povo de Deus
- Igreja Bailarinas da Valsa Divina
- Igreja Batista Floresta Encantada
- Igreja da Bênção Mundial Pegando Fogo do Poder
- Igreja do Louvre
- Igreja ETQB, Eu Também Quero a Bênção
- Igreja Evangélica Batalha dos Deuses
- Igreja Evangélica do Pastor Paulo Andrade, O Homem que Vive sem
Pecados
- Igreja Evangélica Idolatria ao Deus Maior
- Igreja MTV, Manto da Ternura em Vida
- Igreja Pentecostal Marilyn Monroe
- Igreja Quadrangular O Mundo É Redondo
- Igreja Evangélica Florzinha de Jesus
- Igreja Pentecostal Trombeta de Deus
- Igreja Pentecostal Alarido de Deus
- Igreja pentecostal Esconderijo do Altíssimo
- Igreja Batista Coluna de Fogo
- Igreja de Deus que se Reúne nas Casas
- Igreja Evangélica Pentecostal a Volta do Rei
- Igreja Evangélica Pentecostal Creio Eu na Bíblia
- Igreja Evangélica a Última Trombeta Soará
- Igreja Evangélica Pentecostal Sinal da Volta de Cristo
- Igreja Evangélica Assembléia dos Primogênitos
- Ministério Favos de Mel
- Assembléia de Deus com Doutrinas e sem Costumes